Série: Ainda que 1

1. Ainda que eu ande pelo vale da sombra e da morte, não temerei mal nenhum... (Sl 23.4)
Quais são os teus temores? Há pessoas que temem uma doença, temem ficar em um leito de enfermidade até o fim de seus dias. Há aqueles que temem o escuro, outros temem a solidão, outros a falência econômica, e uma grande parte das pessoas teme a morte.
Nesta vida não estamos isentos de passarmos por situações sombrias, adversas, angustiosas ou mesmo temerosas. Ninguém há que tenha transitado por esta vida e que não tenha se percebido em um momento nas palavras do salmista: “em meio a um vale de sombra e de morte”!
Deus nunca nos prometeu isenção destas realidades. Deus nunca iludiu ninguém com falsas promessas de que não teríamos dificuldades, não teríamos situações adversas, desesperadoras na jornada de fé. O homem mais abençoado que pisou este planeta foi nosso Senhor Jesus Cristo. A bíblia o descreve como sendo “homem de dores e que sabe o que é padecer” (Is 53).
O Pastor Messias Anacleto destaca em um comentário deste salmo as expressão - vale: “aqui o salmista está falando de uma fase da vida quando estamos passando por provações, dificuldades, estamos como os três jovens judeus na Babilônia – sendo lançados à fogueira aquecida sete vezes mais (Dn 3.19-20)”.
Nos vales pouco conseguimos contemplar adiante. É um cenário absolutamente divergente do que encontramos no alto de uma montanha. No vale estamos à mercê de todo tipo de emboscada. No vale o transitar torna-se tenso. As ovelhas deviam ser guiadas aos pastos verdejantes, mas para alcançá-los, muitas vezes transitava-se por entre vales perigosos, ambientes de armadilhas e emboscadas.
Mas o salmista Davi não traz apenas uma identificação do que podemos viver na caminhada. Ele diz que não há o que temer. Nossos temores se dissipam, não pela segurança de não passarmos por estas situações descritas, mas pelo fato de que ao defrontá-las, não estaremos sozinhos... “não temerei mal nenhum, porque Tu estás comigo”...
A presença de Deus nos basta. A presença de Deus faz toda a diferença. A presença de Deus na vida de uma pessoa é a garantia de que a caminhada chegará ao seu objetivo final. Moisés ao descer do monte onde recebeu as tábuas da Lei, encontrou o povo desenfreado. Festas profanas, bezerro de ouro, orgias... Deus diz que não andaria mais com o povo, por ser de dura cerviz. Deus declara que destacaria anjos para conduzir o povo na jornada conforme as promessa feita a Abraão, Isaque e Jacó... mas Ele mesmo não iria mais com aquela gente. Moisés ora a Deus e diz: “Se a tua presença não vai comigo, não nos faça sair deste lugar” (Ex 33.15).
Andar longe da presença de Deus é perigoso demais, não só nos vales sombrios, mas em qualquer circunstância da vida. No barco atingido por forte temporal, ou mesmo na presença de um governador no palácio real. A presença de Deus transcende as sombras, os vales e a própria morte. “se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8.31).


Carlos Jr